Um convite aos cristãos

“Antes de tudo, pois, exorto que se use a prática de súplicas, orações, intercessões, ações de graças, em favor de todos os homens, em favor dos reis e de todos os que se acham investidos de autoridade, para que vivamos vida tranqüila e mansa, com toda piedade e respeito. Isto é bom e aceitável diante de Deus, nosso Salvador, o qual deseja que todos os homens sejam salvos e cheguem ao pleno conhecimento da verdade.” (1 Timóteo 1:1-4)

Nesta semana, convido-os a separar um dia para jejuar pelo nosso País e pelas eleições. Não jejue apenas pelo Presidente correto. Jejue pelos que serão eleitos para o Congresso. Jejue pelo seu Estado e pela sua Assembleia Legislativa. Jejue pedindo a Deus que derrame sua graça sobre o Brasil e sobre a Igreja.

Sempre falei de Jesus claramente aqui. E lembro que é Jesus o único que pode salvar o Brasil de si mesmo. Pela Bíblia, o Brasil merece algo pior que a Venezuela. Todos merecemos o inferno. É apenas a graça de Cristo que nos dá emprego, saúde, paz e tudo o mais.

Como reformado, acredito que o Antigo Testamento não é outra aliança. O Novo Testamento é apenas a realização do Antigo. E o que aprendemos no Antigo Testamento é que Deus abençoa os países e governantes que buscam a Ele e se esforçam em guardar a sua Lei. Quando a Lei de Deus é desprezada, os juízos de multiplicam. O fator de sucesso não é a boa gestão da economia e nem o tamanho do Estado, mas sim o temor a Deus e a obediência a Ele.

O Ocidente de um modo geral tem se afastado de Deus e de sua Lei. O Brasil não é exceção. Ore para que Deus aja no coração do nosso povo e de nossos príncipes para que nos arrependamos e voltemos a Ele.

Ore também pela Igreja brasileira. As igrejas evangélicas brasileiras precisam de purificação. A Teologia da Prosperidade, a hipocrisia do evangelho de aparências e o legalismo são abominações que abundam em nosso meio. A Palavra tem sido mal pregada e mal exposta, inclusive no meio reformado. Há pouca oração verdadeira e tem faltado amor verdadeiro também. Nossos conceitos de justiça são mais seculares que bíblicos. Falta coragem pra confrontar os pecados em nosso meio.

Se o Brasil é impuro, talvez estejamos como o sal insípido, que só serve pra ser pisado pelos homens. Ore para que o arrependimento, a confissão e o choro comecem no meio da Igreja.

Jejue e ore. Os príncipes são nada diante de Cristo. Busque a bênção do Rei dos Reis.

Anúncios

Uma igreja a favor do oprimido

Sonho com uma Igreja que visite as famílias dos assassinados, dos sequestrados e dos negociantes e pessoas honestas que foram roubados. Que visite as mulheres que foram estupradas. Que os pastores vão até eles para orar, oferecer consolo e ajuda financeira, se preciso. Sonho com igrejas indo aos enterros dos inocentes e fazendo protestos em frente aos tribunais. Sonho com pastores questionando delegados de polícia que não investigam roubos de carro ou de propriedades.

Não que a Igreja não deva visitar os presos e evangelizar e dar assistência espiritual a eles e seis familiares. Mas, sejamos honestos. O criminoso preso por seu crime não é o oprimido. Ele está apenas sofrendo a justiça.

Oprimidos de verdade são os que morrem, os que perdem parentes, os que ficam feridos e com sequelas, os que têm seus bens roubados, os que são estuprados! Esses são os oprimidos! E pior: em um Brasil onde a lei protege bandidos e nem a Justiça é servida.

Sonho com uma Igreja que entenda que a graça é filha da Justiça, pois até Jesus morreu para que a justiça de Deus fosse satisfeita e a graça viesse ao pecador. Sonho com uma Igreja que, de fato, ame o oprimido e o injustiçado!

Sonho com uma Igreja que não se envergonhe dessa bandeira. E nem de votar em quem a empunha no Brasil da impunidade em que vivemos. Quem lê, entenda. #B17

A diferença é mais que moral

Diante da fábrica de mentiras e calúnias feitas pela imprensa, mais o constrangimento autoritário fascista feito por artistas, jornalistas e ate colegas de trabalho, afirmo sim: a divisão entre os eleitores de Jair Bolsonaro e os fanáticos religiosos do “Helenão” é moral. E isso sem contar a tentativa de assassinato contra Bolsonaro.

Nós temos morais diferentes. Nós temos éticas diferentes. Nós comungamos de valores espirituais diferentes. E as diferenças entre nós e os fanáticos que usam qualquer expediente é irreconciliável.
Brazilian presidential candidate Jair Bolsonaro reacts after being stabbed during a rally in Juiz de Fora

Por trás da reportagem da Folha sobre a ex-mulher de Bolsonaro há algum vazador que acha razoável expor a intimidade de uma família, de um problema já superado, com fins políticos. Por trás da calúnia contra Carlos Bolsonaro, acusando-o de apologia à tortura no Instagram, há uma imprensa que acha que está salvando o Brasil por meio da mentira e da injúria.

Não há comunhão entre luz e trevas. Eu não tenho comunhão com esse tipo de gente, ainda que se digam cristãos. E, sim: diria na sua cara, seja você quem for, isso.

Só há uma solução para essa crise: o sangue de Cristo purificando esses fanáticos de seu zelo e convencendo-os de que não é com mentiras e calúnias que se salva uma nação. Arrependa-se, especialmente se você se diz cristão e está propagando mentiras, lamentando que Bolsonaro não tenha morrido, celebrando a exposição de um problema familiar já superado!

Vou além. Aquilo que odiamos nos controla. Os fanáticos do “Helenão” fizeram de Bolsonaro seu deus. Ele os controla. Sua felicidade foi posta nas mãos dele. Sua felicidade, sua paz, seu senso de justiça…tudo é referenciado por ele.

E quem quiser me dar “conselho” (quem lê, entenda), que guarde pra você. Sim, há gente adorando Bolsonaro. Mas eles estão mais em seus opositores do que em seus eleitores. E só um cego não vê isso.