Aos cristãos em tempos de juízo

Quem não sonha com um futuro melhor? De todos os motivos que fazem as pessoas se levantarem da cama todos os dias, com certeza, esse é um dos mais comuns. Dias melhores também são um dos motivos mais poderosos para levar pessoas às igrejas. Muitos buscam a Deus porque cansaram de sofrer e precisam de esperança para continuarem lutando. A recompensa da fé e da obediência seria uma vida mais segura e feliz, com a bênção do Senhor.

Mas, o que fazer quando o futuro não será melhor que o presente ou o passado? Como acordar para viver quando há o risco real de perder o emprego, gerar um filho doente e ser assaltado por bandidos? Exagero? De modo algum. Essa é a realidade que o Brasil enfrenta hoje:

  • Uma grave crise econômica, que se estenderá por 2016…e talvez mais;
  • Mais de 1.700 casos de bebês com microcefalia por causa do vírus zika;
  • No ano passado, o Brasil foi o país do mundo com maior número de  homicídios: mais de 60 mil;
  • O vale do Rio Doce devastado pelo maior desastre ambiental de nossa História;
  • O maior escândalo de corrupção da nossa História.

“Ah, mas isso vai passar”. A questão é que não sabemos quando. Muitos brasileiros apostavam no impeachment da presidente Dilma Rousseff como um alívio para estes problemas. Trocar de presidente poderia ajudar a economia e provocar alguma pequena melhora no nosso quadro atual. Mas essa esperança tem se revelado cada vez mais frustrante.

É razoável imaginar que continuaremos com o mesmo governo…e os mesmos problemas. E os cristãos não escaparão ilesos. Mesmo buscando ao Senhor, haverá quem perderá o emprego, ganhará menos, sofrerá com a violência, enfrentará problemas de saúde e será vítima dos erros de outros.

Nesses momentos, precisamos nos lembrar que Deus é o Senhor de todas as coisas e possui um propósito em tudo o que faz. Em tempos de juízo, há lições a serem aprendidas, e elas são para o nosso bem. Como está escrito:

Sabemos que Deus age em todas as coisas para o bem daqueles que o amam, dos que foram chamados de acordo com o seu propósito.
Romanos 8:28

tristeza

1) Deus reina e julga as nações

 Por que uma nação é elevada e outra tratada com severidade? Humanamente, nós pensamos que isso ocorre porque um povo se esforçou mais que o outro. Tinha valores melhores, uma educação superior ou um mercado mais livre.  Temos a ilusão de que nós somos senhores de nosso destino.
Contudo, a Bíblia ensina que Deus é quem governa e preside as nações. E Ele também as julga com justiça:
Todos os confins da terra se lembrarão e se voltarão para o Senhor, e todas as famílias das nações se prostrarão diante dele, pois do Senhor é o reino; ele governa as nações.
Salmos 22:27,28
Digam entre as nações: “O Senhor reina! ” Por isso firme está o mundo, e não se abalará, e ele julgará os povos com justiça.
Salmos 96:10
No último dia, o Senhor julgará (e reprovará) todas as nações da Terra. Mas isso não quer dizer que Ele não faz nada até lá. Ao contrário, assim como nos dias do Antigo Testamento, Deus continua, até hoje, elevando e derrubando países. O Senhor julga os povos e prova o coração dos países e de seus governantes. O Brasil não é exceção.
O que precisamos fazer é aceitar isso e analisar porque o Senhor tem julgado o Brasil dessa maneira. Há muitos pecados, dentro e fora da Igreja, e eles não são tratados. Pior: tornam-se a norma que é ensinada nas escolas e universidades, como aconteceu com as questões sexuais e familiares. De igual modo, escolhemos corruptos para serem nossos príncipes. Certamente, parte da resposta passa por essa reflexão.

2) Toda autoridade procede de Deus

Recordemos: Deus é quem controla todas as coisas, inclusive quem terá autoridade sobre um determinado país. As eleições ou mecanismos de punição, como o impeachment, são apenas meios pelos quais Deus realiza a Sua obra. Falando de modo específico sobre o Governo, a Bíblia é claríssima:

Todos devem sujeitar-se às autoridades governamentais, pois não há autoridade que não venha de Deus; as autoridades que existem foram por ele estabelecidas.
Romanos 13:1

Toda autoridade vem de Deus e é por Ele estabelecida. Mesmo quando a Bíblia falava de reis extremamente maus e cruéis, como Acabe ou Manassés, foi o Senhor quem os colocou como governantes. Isso precisa ser aceito por todos os cristãos. Se a presidente permanece no poder, é porque Deus a estabelece lá. E cabe a nós o dever de nos sujeitarmos a ela, dentro dos limites estabelecidos pela Palavra.

Sujeitar-se não significa, porém, que não podemos criticá-la. Na Bíblia, os profetas de Deus criticaram até mesmo reis bondosos e muito fiéis, como Davi. Também não significa que ordens contrárias à lei do Senhor devam ser obedecidas, como bem mostra o livro do profeta Daniel, por exemplo. Contudo, o dever de se submeter e obedecer continua em pé.

Eu mesmo prego e ensino que a autoridade deve ser respeitada, mesmo quando ela é má. Um mau pai ainda é pai e deve ser respeitado, assim como um mau pastor ou uma má mãe ou um mau marido. O mesmo também é verdadeiro sobre a má presidente ou o mau governador. Até Jesus se submeteu enquanto viveu, embora criticasse o comportamento dos sacerdotes. Nós precisamos fazer o mesmo, até para que sintamos compaixão quando vemos outras pessoas sofrendo debaixo da autoridade de maus chefes, maus pais, maus cônjuges…

dilma

3) Ore: pelas autoridades e pelo Brasil

É preciso reconhecer que Deus está no controle de tudo, inclusive do que acontece de mau em nossa nação. Contudo, o Senhor não nos chama para termos uma atitude meramente conformista. Se Deus é quem governa e estabelece, é a Ele que devemos recorrer nos momentos difíceis. Nós temos este dever:

Antes de tudo, recomendo que se façam súplicas, orações, intercessões e ação de graças por todos os homens; pelos reis e por todos os que exercem autoridade, para que tenhamos uma vida tranqüila e pacífica, com toda a piedade e dignidade.
1 Timóteo 2:1,2

A Igreja precisa orar pelos seus governantes e por todo o povo! Se queremos uma vida tranqüila e pacífica, é preciso por os joelhos no chão e clamar…pelos outros! No Brasil, é muito comum que as pessoas se envolvam para orar por si mesmas ou por missões. Nesses momentos, clamamos e jejuamos. Mas não há o costume de orar pelas autoridades e pela nação.

Aqui eu gostaria de contar uma experiência pessoal que tenho tido na Redeemer Presbyterian Church. Todo culto há o que eles chamam de “Prayers of the People” ou “Orações do Povo”. Nesses momentos, a igreja ora pela cidade de Nova Iorque, pelos Estados Unidos e por outras nações. Quando há um grande crime ou ocorre um fato grave, a Igreja ora também. Nós oramos por Paris após o atentado. Ora-se constamente sobre a Síria. Em Washington, na Capitol Hill Baptist Church, também vi várias vezes o pastor orar e pedir pelos Estados Unidos.

A História mostra que igrejas também se envolveram com questões políticas e até com protestos, como ocorreu nos próprios Estados Unidos em relação ao racismo, e nos países do Leste Europeu quando deixaram o comunismo. Mas, antes disso, elas oravam. Elas faziam missas e cultos pela pátria. E isso as igrejas brasileiras não fazem.

oração

4) Arrependa-se

Por fim, é preciso olhar para a nossa própria maldade, antes de apontarmos o dedo para a maldade de nosso país e de nossos governantes. Sim: ANTES! O próprio Jesus nos ensina que primeiro devemos tirar a trave de madeira dos nossos olhos, para depois tentarmos tirar o cisco do olho de outros:

“Por que você repara no cisco que está no olho do seu irmão, e não se dá conta da viga que está em seu próprio olho? Como você pode dizer ao seu irmão: ‘Deixe-me tirar o cisco do seu olho’, quando há uma viga no seu? Hipócrita, tire primeiro a viga do seu olho, e então você verá claramente para tirar o cisco do olho do seu irmão.
Mateus 7:3-5

E há tantas traves e vigas em nossos olhos! As igrejas perderam o discernimento. Muitos falsos profetas, com heresias destruidoras, são aclamados como homens de Deus ou grandes sábios, enquanto ensinam a Teologia da Prosperidade e/ou transformam a graça de Deus em libertinagem. Os pecados não são confrontados por nossos sermões açucarados e pelo nosso medo de esvaziarmos nossos templos se pregarmos a verdade.

As famílias estão se esfacelando. Homens que se recusam a ser maridos e pais, e mulheres que não aceitam os mandamentos bíblicos para esposas e mães. Filhos que não são educados pelos pais e que vêem modelos invertidos de masculinidade e feminilidade. A promiscuidade sexual chega ao ponto de adolescentes das igrejas fazerem sexting, mandando fotos nuas a outros, agindo do mesmo modo que os adolescentes que não estão na igreja.

Orar apenas não basta: é preciso confessar e mudar! Como diz um texto bem famoso da Bíblia:

“Se eu fechar o céu para que não chova ou mandar que os gafanhotos devorem o país ou sobre o meu povo enviar uma praga, se o meu povo, que se chama pelo meu nome, se humilhar e orar, buscar a minha face e se afastar dos seus maus caminhos, dos céus o ouvirei, perdoarei o seu pecado e curarei a sua terra.
2 Crônicas 7:13,14

A mudança do Brasil depende da purificação dos que se chamam de cristãos. É preciso que nos humilhemos diante do Senhor e confessemos o nosso pecado. É preciso orar e buscar a face de Deus. Temos que admitir o nosso fracasso e pedir que Jesus tome sobre si o nosso pecado e o pecado de nosso país.

Mas também é preciso se afastar dos maus caminhos. E isso é se arrepender, é mudar de vida. É o adúltero deixar as amantes e confessar seu pecado ao cônjuge. É o pai omisso encher-se de coragem e começar a falar e a ensinar sua casa, mesmo que ele seja ridicularizado pelos filhos no começo. É o marido insensível começar a fazer atos concretos de amor pela esposa, mesmo que ele não queira lavar a louça ou abrir mão do futebol para ouvir o que sua esposa tem a dizer.

E essa é uma obra de Jesus. Nós precisamos do Evangelho, para ressuscitarmos com Jesus e vermos o Espírito Santo formando o próprio Cristo em nós e nos fazendo mudar. Para isso, precisamos orar, ler a Bíblia, permitir a confrontação de amigos cristãos, buscar aconselhamento, nos tornarmos vulneráveis, chorar…mas o resultado é vida. É comunhão com Deus e paz de espírito, mesmo em meio ao sofrimento. É saber que o Justo Juiz está conosco, mesmo no meio de uma sociedade má e impura. E é ver isso transbordar e abençoar o nosso Brasil.

Que eu e você nos coloquemos nas mãos do Senhor, para sermos meios de graça para o nosso Brasil.

Graça e paz do Senhor,

Helder Nozima
Barro nas mãos do Oleiro

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s