Cristo Salvador? Sim! E o Cristo Redentor?

Porque sabemos que toda a criação, a um só tempo, geme e suporta angústias até agora. E não somente ela, mas também nós, que temos as primícias do Espírito, igualmente gememos em nosso íntimo, aguardando a adoção de filhos, a redenção do nosso corpo. Porque, na esperança, fomos salvos. (Romanos 8:22-24a)

Pois o amor de Cristo nos constrange, julgando nós isto: um morreu por todos; logo, todos morreram. E ele morreu por todos, para que os que vivem não vivam mais para si mesmos, mas para aquele que por eles morreu e ressuscitou. Assim que, nós, daqui por diante, a ninguém conhecemos segundo a carne; e, se antes conhecemos Cristo segundo a carne, já agora não o conhecemos deste modo. E, assim, se alguém está em Cristo, é nova criatura; as coisas antigas já passaram; eis que se fizeram novas. (2 Coríntios 5:14-17)

Se perguntarmos a um estrangeiro qual a primeira imagem que lhe vêm a cabeça quando se fala em Brasil, provavelmente será  a estátua do Cristo Redentor, no Rio de Janeiro. Quando olhamos para aquela imagem, de um Jesus de braços abertos, imaginamos que redenção significa acolhimento. Talvez o Cristo Redentor seja aquele que está de braços abertos, pronto a receber a quem quer que seja.

Essa imagem não é diferente da que muitas pessoas têm sobre a obra salvadora de Cristo Jesus. Quando dizemos que as pessoas são salvas pela graça, enfatizamos que qualquer um pode vir a Jesus, o que é uma verdade. Não importa o passado ou o pecado, Cristo está aberto para salvar a qualquer um que se aproxime dele.

A questão é que reduzimos a salvação de Cristo ao simples perdão de pecados. Gostamos de falar que Cristo é o nosso Salvador, porque associamos esse título à parte da salvação que nos é conveniente: em Cristo, todos os nossos pecados são perdoados e nossa culpa é removida. O céu volta a ser uma opção para nós. E isso é o que importa, certo?

O que é salvação?

Entretanto, ser salvo não é apenas ter a culpa do pecado removida. Jesus não veio ao mundo morrer na cruz para que continuássemos a viver no pecado, sem medo de sermos condenados ao inferno. Dizer-se cristão e continuar nos mesmos hábitos, preso aos mesmos gostos e inclinações, é uma grande mentira.

Todo aquele que é salvo tem a esperança de ter o seu corpo redimido. A palavra usada na Bíblia tem o sentido de “libertar alguém pelo pagamento de um resgate”. Redimir é mudar o estado de alguém a um preço muito grande. Ao morrer na cruz e ser punido em nosso lugar, Jesus pagou o preço necessário para libertar o nosso corpo da escravidão do pecado. Ele começou ali a nos redimir.

Contudo, a redenção ainda não foi concluída. Todo verdadeiro cristão anseia pelo dia em que não pecará mais. Ele geme em seu interior, aguardando o dia em que não mais terá pensamentos impuros, ira pecaminosa ou desejos contrários aos de Cristo. É nessa esperança de ser transformado que ele é salvo.

Vemos assim que a redenção é a libertação do pecado que ainda habita em nós. É um evento futuro, mas já iniciado! Aquele que está em Cristo já é uma nova criatura! Ela não é mais a mesma velha pessoa, tudo passou! A redenção já foi iniciada, mas ainda não foi concluída.

livre

O meio da redenção

Sem dúvida alguma, a redenção é uma obra realizada pelo Senhor Jesus. Nenhum ser humano tem o poder de se auto-redimir. Jejuns, orações ou atos de caridade não podem comprar a liberdade do ser humano. Apenas Cristo pode nos libertar.

Parece bom, mas confesso que muitas vezes é desesperador saber disso. A redenção é uma obra que não está sob meu controle. Eu dependo inteiramente de Deus para que ela aconteça. E, muitas vezes, não entendo se Cristo está mesmo realizando sua obra redentora em minha vida ou qual o meu papel em tudo isso. Como Cristo me redime?

A resposta bíblica é clara: a redenção acontece por meio da santificação. E santificar-se é morrer e viver com Cristo. Só é redimido quem morre para si mesmo e para seus desejos e paixões e vive para Cristo. Ser livre é abandonar tudo o que se é e o que se tem na cruz, para receber em troca um novo ser, com novos gostos e desejos, refeito pelo Senhor. Ser livre é ver o nosso eu morrer e ver Cristo vivendo em nosso lugar.

A recusa da redenção

Parece simples, mas, se pensarmos bem, são poucos os que realmente desejam ser redimidos. Porque a redenção envolve uma transformação completa que não queremos que aconteça. Redimir não é consertar, é substituir.

metamorfose

E nós não queremos essa substituição. Por exemplo, redimir é preferir, de verdade, um mundo onde a pornografia e a prostituição não existam. É preferir o celibato e a castidade à imoralidade sexual, ao sexo fora do casamento. É ansiar pelo dia em que não será possível dar vazão às frustrações do dia-a-dia olhando uma modelo no computador ou acariciando pesadamente uma namorada.

Redenção é ver a beleza em um espírito manso e tranquilo, e não em um corpo sarado e adornado com belas jóias e vestidos. É procurar o seu valor pessoal em Cristo, e não na opinião que outros homens e mulheres têm sobre nós. É estar bem sozinha, com o Senhor, sem ver o casamento como a razão última da vida, a ponto de sacrificar a fé em um relacionamento impuro.

É amar a Deus mais do que se ama o dinheiro. É estar contente com o que se tem e ter a alma cheia de gratidão, mesmo em meio à pobreza ou à doença. É não ansiar pelo dia de amanhã, mesmo quando não se sabe se haverá um lugar para reclinar a cabeça à noite. É preferir um dia na presença do Senhor do que dez mil dias na Disney, em um resort no Caribe, nas raves da Europa ou em qualquer outro lugar.

E isso é algo que não queremos. O que queremos mesmo é ir para o céu e levar um pouco do inferno conosco. Queremos brincar com as chamas do inferno e ter a garantia de que Deus curará as queimaduras.

O Senhor, de fato, cura as queimaduras que o inferno produziu e ainda vai produzir em nós. Mas Ele também nos queima em seu fogo purificador, até que morra todo o desejo que temos pelo fogo do inferno. Ele envia tribulações e sofrimentos para purgar-nos de todo o desejo pelo que é mau. Afinal, Jesus veio ao mundo para substituir o nosso coração de pedra por um coração de carne, que realmente ama e deseja o que é do Senhor. E esta é a nossa esperança.

Uma oração final

Pai, agradeço ao Senhor porque a obra de Cristo é completa. Louvo ao Senhor porque, em teu Filho, tenho o perdão de meus pecados, e a redenção de todo o meu ser. Leva adiante essa obra em minha vida. Dai-me a graça de ser liberto de todo amor que tenho pelo pecado. Que, a cada dia, o Senhor trabalhe em mim para substituir o meu eu pecador pela nova criatura que eu já sou, em Cristo Jesus. Perdoa-me os pecados e o meu apego a eles, bem como minha frieza em relação a Ti. Dai-me a graça de ansiar, junto com a sua criação, pelo dia em que serei completamente transformado. Em nome de Jesus. Amém.

Graça e paz do Senhor,

Helder Nozima

Barro nas  mãos do Oleiro

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s