Uma trilha sonora para a sua vida

Acredito que as pessoas já sabem que não sou apenas uma garotinha sexy, tenho mais a dizer. Estou tentando dar às pessoas trilha sonora para suas vidas – músicas que expressam um barril de emoções. (Katy Perry)
Eu sou pastor, mas se você vasculhar as minhas playlists no YouTube ou no meu MP3 player, vai ter uma surpresa. Muito sertanejo (especialmente universitário), pop e rock. Aqui e ali você encontra algo de MPB. E sim, algumas músicas evangélicas…todas no estilo “adoração” e que podem ser classificadas como boas para se usar nos cultos. Mas não espere encontrar pop gospel, rock gospel (exceto Oficina G3), sertanejo gospel…
Não, não se trata de nenhuma bronca especial que eu tenha com a música gospel. Ao contrário, várias músicas feitas para o culto cristão efetivamente abençoaram a minha vida e são bem-vindas quando executadas. Eu mesmo faço parte de um ministério de louvor. Mas, quando se trata de “música cristã”…aquela que não cabe bem em um culto e fica melhor no rádio de um carro do que no templo…bom, aí há algumas coisas a se considerar.
Katy Perry
A graça comum
A primeira é que artistas não-cristãos podem sim fazer arte que glorifique a Deus e seja boa para ser apreciada pelos homens. Glorificar a Deus não é algo que apenas pessoas salvas e geradas de novo pelo Espírito Santo podem fazer. Na verdade, até mesmo seres inanimados podem fazê-lo.
Os céus declaram a glória de Deus; o firmamento proclama a obra das suas mãos. (Salmo 19:1)
Na verdade, o tempo todo os cristãos se beneficiam de obras realizadas por não-cristãos e não vemos problema algum nisso. Tomamos remédios, desfrutamos de invenções tecnológicas, lemos livros e vemos filmes que foram feitos por pessoas sem temor de Deus em seus corações. Obviamente, todas essas obras não foram feitas com a intenção explícita de glorificar a Deus.
E por que nós podemos usufruir de tudo isso? Por causa daquilo que os reformados chamam de graça comum, ou seja, das bênçãos que Deus distribui a todos os seres humanos, independente de sua fé. Mesmo quando os homens usam essa graça sem a intenção explícita de engrandecer ao Senhor, Ele é glorificado pelo simples fato dessas bênçãos serem usadas. Afinal, o cantor, o artista, a engenheira ou a médica podem não saber, mas aquele talento todo procede de Deus e deve ser usado. Pode não ser essa a intenção, mas o uso deste talento beneficia os seres humanos. E, por causa de tudo isso, glorifica ao Senhor. Como está escrito:
Toda boa dádiva e todo dom perfeito vêm do alto, descendo do Pai das luzes, que não muda como sombras inconstantes. (Tiago 1:17)
Uma visão limitada da glória de Deus
No entanto, a maioria dos cristãos evangélicos parece não entender ou não aceitar o conceito de graça comum. Eles desconfiam de tudo que é produzido “fora da igreja” e têm dificuldades em apreciar o que é feito por não-cristãos. Por isso o pé atrás em relação à ciência, a recusa de participar de eventos sociais fora da igreja (no máximo, festinha de criança, se não tiver cerveja), o pouco interesse pelos últimos lançamentos nas livrarias e, acima de tudo, o medo da arte. A ideia é que apenas a música que mencione especificamente o nome de Deus e seja ligada à adoração ou ao culto são seguras. De que somente este tipo de música glorifica a Deus.
Quem pensa assim não consegue enxergar a glória de Deus fora das quatro paredes dos templos. Só consegue vê-la nos cultos, nos irmãos, nas atividades eclesiásticas. Não se envolve com o “mundo” (a sociedade exterior) pois só vê nele o que é mau e diabólico. Nada mais natural que fuja da música, ainda mais quando se ouvem notícias como a morte da cantora Amy Winehouse.
Mas Deus é glorificado fora da igreja. Ele é glorificado no amor, na poesia, no trabalho. É glorificado quando perdemos alguém, ficamos doentes e temos que enfrentar situações difíceis. É exaltado nos nossos momentos de indecisão e até quando erramos. No nosso dia-a-dia o Senhor é exaltado.
A Bíblia mostra isso o tempo todo. As Escrituras não tratam apenas dos momentos “religiosos” ou cúlticos de seus personagens. Ao contrário, ela mostra como as histórias de vida de cada personagem honram ou não a Deus. Mesmo em fracassos monumentais, como o adultério de Davi ou quando o apóstolo Pedro nega três vezes a Jesus, a glória do Senhor se manifesta.
Sem falar que o fato do próprio Jesus ter se encarnado e participado da nossa vida comum já mostra o quanto ela é importante pra Deus. Jesus não amou uma mulher específica, mas amou a Igreja e viu várias histórias de amor em sua vida. Seu primeiro milagre foi em um casamento. Ele ia comer com gente de má fama. Quer sinal maior do que esse para entendermos como o Senhor é glorificado fora dos cultos?
Onde está a trilha sonora?
E aí vem a minha crítica aos músicos cristãos. A ampla maioria deles compõe apenas para a igreja. Mesmo os cantores de ritmos como rap, funk e axé buscam se apresentar nos templos e shows com canções explicitamente cúlticas ou que lembram muito um sermão. E as músicas que falam da vida das pessoas?
São poucos os músicos cristãos que compõem, tocam e cantam buscando o teatro, ao invés do templo. Que falam de amor, de lutas, de morte, de desabafos, da alma de seres humanos buscando o Deus vivo em suas vidas. Faltam músicas que a gente ouça e possa dizer “essa faz parte da trilha sonora da minha vida”.
E se os artistas cristãos não o fizerem, outros o farão, e muito bem. Engana-se quem pensa que o público que vai a eventos como o Rock in Rio quer apenas uma relação comercial. Conheço muitas pessoas que se identificam fortemente com bandas e têm suas vidas inspiradas pela música. Canções que ilustram momentos de alegria e de tristeza, que ajudaram a começar e a terminar relacionamentos, que deram forças para dar a volta por cima ou as ajudaram a tomar decisões. Os (bons) shows têm um quê de culto, de transcedência, algo que encanta e fascina tanto os fãs como os astros.
E confesso: vários artistas como Roxette, Queen, Paula Fernandes e até Katy Perry e Maria Cecília e Rodolfo fazem parte da trilha sonora da minha vida. E sim, sou grato ao Senhor por isso. E sim, lamento muito quando os evangélicos boicotaram bandas como a Catedral que tentaram fazer isso e foram rechaçados pelos seus irmãos de fé.
Banda Catedral: uma rara tentativa de alcançar “todo o mundo”
Espero que Deus levante músicos cristãos que tenham o propósito de escrever trilhas sonoras para a vida das pessoas. Trilhas que glorifiquem ao Senhor e marquem a vida de seus ouvintes.
Graça e paz do Senhor,
Helder Nozima
Barro nas mãos do Oleiro
Anúncios

3 thoughts on “Uma trilha sonora para a sua vida

  1. É isso mesmo… Tem umas músicas que nao servem para adorar a Deus em um culto, e são ruins de ouvir também, e agá era ouve só pelo costume. São musicas que poderiam muito bem nunca terem sido compostas, feias e erradas, que só se encaixam no maldito mercado da música gospel. Essas musicas são como cães problemáticos cujos donos têm pena de sacrificar, e só servem pra causar problema…

    Mas teu gosto musical é ruim, independentemente disso =] (TROLLFACE)

    Gostar

  2. Que legal encontrar seu blog assim, por acaso! Acho que seu posto vai muito alèm da musica: Eh uma mensagem de vida. Seria muito legal se os evangelicos se dessem conta de que è muito facil viver alienado, isolados em suas igrejas. Acho que esse nunca foi o proposito de Deus. Acho que os evangelicos devem interagir com os 'mundanos', dar um bom exemplo e nao parecer um louco. Nao estou criticando “os evangelicos”, estou talvez falando do que eu levei muitos anos para aprender. A historia da minha vida nao vem ao caso, mas, posso dizer que dei um respirao aliviado quando deixei de lado o fanatismo e passei a assimilar o mundo de forma mais “natural”. E, pode parecer uma blasfemia mas, por varias vezes glorifiquei a Deus ouvindo musicas que falavam de um amor muito forte. Me vinha natural, eu escutava falar desse amor forte e subitamente pensava em Deus, meu Amor maior. E eu dizia: “Senhor, essa letra descreve aquilo que provo pelo Senhor”. Talvez tenha atè errado, mas sei que naquele momento Deus viu meu coraçao. Bom, mas jà falei demais.
    Enfim, amei o blog!
    PS: E sempre achei uma tremenda sacanagem o que fizeram ao Catedral!

    Gostar

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s