Não dê as costas para Deus

A ira de Deus se revela do céu contra toda impiedade e perversão dos homens que detêm a verdade pela injustiça; porquanto o que de Deus se pode conhecer é manifesto entre eles, porque Deus lhes manifestou. Porque os atributos invisíveis de Deus, assim como o seu eterno poder, como também a sua própria divindade, claramente se reconhecem, desde o princípio do mundo, sendo percebidos por meio das coisas que foram criadas. Tais homens são, por isso, indesculpáveis; porquanto, tendo conhecimento de Deus, não o glorificaram como Deus, nem lhe deram graças; antes, se tornaram nulos em seus próprios raciocínios, obscurecendo-se-lhes o coração insensato. (Romanos 1:18-21)

Você acredita em Deus? No Brasil, a maioria das pessoas ainda diz que sim, embora a impressão seja a de que o ateísmo esteja crescendo, principalmente nas universidades. Mas, se ainda são poucos os ateus professos, muitos dos que dizem acreditar em Deus, vivem na prática como ateus, ignorando a existência e a vontade do Senhor.
Deus existe? Segundo a Bíblia, sim. Qual a prova da existência de Deus? A resposta bíblica seria algo do tipo “olhe ao seu redor e veja Deus em cada detalhe da criação”.
Mas enxergar Deus na criação é impossível, dizem muitos. Por acaso, é possível sabermos qual a Sua forma ou composição química? Existe alguma fórmula matemática pela qual possamos detectar a Sua presença? A conclusão, dizem, é a de que não é possível afirmar a existência de Deus.
Qual a alternativa? O acaso. As formas de vida, a posição da Terra em relação ao Sol, nada disso é produto de uma mente pessoal, mas sim da ação de forças físicas impessoais que são regidas pelo acaso. No meio de sei lá quantas combinações possíveis, tivemos a “sorte” de cair em uma que produziu um Universo com vida.
Mas, se o mundo é produto da aleatoriedade, como ensina o evolucionismo e o ateísmo, como explicar a própria existência de leis que explicam o funcionamento do Universo? Será que a aleatoriedade produz a ordem? Bom, se fosse assim, alguém já teria descoberto uma equação para explicar a ordem dos números da loteria. Se isso parece impossível, como explicar um universo tão cheio de ordem, funcionando em cima de leis que se mantêm constantes?
Aliás, como provar, sem sombra de dúvida, que as experiências científicas de hoje terão os mesmso resultados em um milhão de anos? A própria ciência parte dos pressupostos de que existem leis que explicam o funcionamento do Universo e que essas leis se mantêm fixas ao longo do tempo.
Como explicar tanta ordem e constância…tanta variedade de vida…tantas variáveis na medida certa (como distância do Sol, intensidade do campo magnético da Terra e até mesmo a composição atmosférica) apenas com a aleatoriedade? A resposta bíblica é a de que a existência de Deus explica o que os nossos sentidos captam ao nosso redor.
Não há desculpas para ignorarmos a existência de Deus. Negá-la é, simplesmente, escolher a resposta mais difícil e absurda para explicar o mundo e a nossa própria existência.
E o que isso tem a ver com o coração?
Mas há uma implicação para aqueles que vivem no ateísmo, seja ele intelectual ou apenas prático. Os que se recusam a admitir a existência de Deus e não vivem levando-O em consideração, se tornam nulos em seus raciocínios e têm o coração insensato.
Se Deus não existe, não há nada como justiça após a morte, com prêmios para os bons e punições para os maus. Na verdade, sem Deus, não há verdades morais absolutas, a moral é ditada pelos homens, conforme o tempo e o lugar. O pedófilo, o estuprador, o assassino…se não forem pegos, podem dormir tranqüilos, terão praticado perversões e jamais serão punidos por isso. Na verdade, a pedofilia, o estupro e os assassinatos não são atos maus…a maldade deles é apenas fruto de construções históricas humanas, e podem, perfeitamente, ser desconstruídas. É só vermos o que está acontecendo com a homossexualidade, abominação nos anos 50, mas se tornando um comportamento perfeitamente aceitável e defensável nos dias de hoje. Ou com o racismo, que era superaceito nos anos 50 e é crime no Brasil do século XXI.
Quando negamos a existência de Deus, ou vivemos como se Ele não existisse, também ignoramos Suas verdades, Suas leis, Sua moral. Vivemos como queremos. E porque somos pessoas imperfeitas e finitas, cada um cria sua própria moral e não seguimos o correto, porque, deliberadamente, nos recusamos a enxergar ao Senhor.
Sem Deus, o clamor por justiça é inútil. Afinal, todos os dias alguém inocente sofre injustamente e um culpado escapa da pena que merecia. Sem Deus, não há base real para louvarmos um comportamento e condenarmos outro. Sem Deus, não há base real para a ordem que existe no Universo. Sem Deus, perdemos todas as bases pelas quais podemos construir o conhecimento, a moral da sociedade…e o sentido de nossa própria existência.
Por isso, não dê as costas para Deus. Não basta apenas acreditar, é preciso que essa crença influencie a sua vida. Volte-se para o Senhor!
O próximo post da série está aqui.
Anúncios

4 thoughts on “Não dê as costas para Deus

  1. Oi Helder, aqui é a sua velha amiga Lili.
    Gostei muito do seu texto.
    Porém tenho uma questão que te coloco visando debate, porque muitas vezes é algo que me angustia tanto na vida pessoal como observando o mundo.
    O perdão é uma coisa linda. Mas e o castigo dos maus? Muita gente critica e não aceita o fato de assassinos serem perdoados e voltarem ao nosso convívio como se nunca tivessem cometido crimes. Muitas vezes olho ao redor de mim e um desanimo grande me aflige, vendo que eu tenho que perdoar, orar pelo os meus inimigos, enquanto os vejo ímpios estragarem a vida deles e também a minha. Queria ser uma pessoa mais misericordiosa mas muitas vezes meu único desejo é que Deus se mostre e desça a lenha…
    E aí me lembro que se a pessoa pedir perdão e se converter, sou eu que tenho que engolir a mágoa.
    Ultimamente tenho me chateado com Deus. Lutas, problemas e o fato de que obedecer a Deus nem sempre é fácil. Estou um pouco como Jonas, relutante e chateado por ter que ir a Nínive.
    Espero que Deus me dê entendimento e alegria nas escolhas que Ele faz para mim.
    Por favor, se der fale sobre isso no seu blog, sobre o perdão genuíno e as nossas chateações com relação a Deus. Ps: Já li aquele livro do Yancey, decepcionado com Deus.
    Um grande bjo.

    Gostar

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s